sábado, 23 de julho de 2011

Fui parar na mesa de operação!


Não aconteceu nada de grave comigo, mas a cirurgia a qual fui submetida dia 19/07 representou um marco em minha vida: me livrei da hiperidrose, um mal que me afligia praticamente desde que nasci.

Para quem não sabe, hiperidrose é o excesso de suor em determinada região do corpo. O meu caso era de hiperidrose palmar (nas mãos) e um pouco também de hiperidrose plantar (nos pés). Isso sempre foi um transtorno para mim, pois, ao contrário do que quem não tem o distúrbio pensa, não é apenas "um pouco de suor a mais". Minhas mãos chegavam ao ponto de escorrerem suor se eu segurasse por muito tempo  alguma coisa. E isso não era apenas em dias de calor: muitas vezes no inverno, e apesar do frio que podia fazer, lá estavam minhas mãos suando tanto que chegavam a inchar e perder a sensibilidade. Essa situação estava me atrapalhando até em atividades simples, como escrever, desenhar, bordar e até dirigir (já que minhas mãos escorregavam no volante, o que é um perigo).

Comecei a perceber que isso que eu sempre tive era um distúrbio quando, aos 14 anos, vi na TV casos parecidos com o meu. Até então eu achava que isso poderia ser "natural" e que eu conseguirira viver com esse problema numa boa. Mas com o tempo isso foi me incomodando cada vez mais, e então resolvi pesquisar sobre o assunto. Achei na internet o livro Suando em Bicas que me surpreendeu com  a semelhança da história de vida da autora em relação à minha. Descobri que o procedimento cirúrgico que cura a hiperidrose (que se chama Simpatectomia Bilateral )  nem é tão invasivo quanto eu imaginava (sempre morri de medo de cirurgias), e decidi: eu iria fazer aquela cirurgia de qualquer jeito.

Me consultei com um cirurgião torácico, médico responsável pela simpatectomia, e logo fui encaminhada para exames pré-operatórios. Em menos de um mês consegui marcar a data do grande dia em que me livraria de vez dessa tortura que era ter as mão pingando.

Passei pela simpatectomia mas, como tive pneumonia aos 4 anos, meu pulmão direito estava "colado" às costelas, e por isso os médicos tiveram que "descolá-lo", o que me fez acordar da anestesia com um dreno ligado ao meu lado direito do corpo.
Senti muita dor e desconforto (continuo sentindo aliás, porque já estou em casa, mas continuo com o dreno), mas sabe de uma coisa? Tudo valeu a pena. Minhas mãos estão perfeitamente secas, às vezes nem acredito que isso esteja acontecendo de verdade, de tão bom que é.

E agora só penso  na quantidade de coisas que vou poder fazer sem me preocupar com a sudorese: desenhar, pintar, bordar, escrever... enfim, uma infinidade =)

2 comentários:

alegria de viver disse...

Olá querida

Graças a Deus tudo foi bem.
Parabéns pela coragem.

Muita saúde, com muito carinho BJS.

Roberta Ribeiro disse...

Olá! Td bem?! Hoje marquei minha cirurgia p acabar com a hiperidrose. Chegando em casa, fui procurar fotos de como era e depoimentos q alguem q ja fez. Achei seu blog e estou qrendo alguem p me encorajar e responder duvidas. Podemos nos comunicar ?

layllaroberta@hotmail.com

Vamos nos falando.
Por favor,responda até segunda-feira. Bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...