sexta-feira, 29 de julho de 2011

Coisas que a gente aprende meio sem querer

Esses dias que passei no hospital foram muito bons para mim, pois pude perceber algumas coisas:

Enqüanto eu reclamava de dores no peito e braços, e do desconforto de ter um dreno pendurado na axila, prestei atenção na senhora que dividia o quarto comigo: ela tinha feito uma cirurgia de intestino e, por isso, estava usando uma sonda de alimentação pelo nariz. Não era uma visão muito bonita e, além disso, era visível o quanto aquilo a afligia, pois ela nem conseguia falar direito com aquele negócio no rosto. Foi aí que me dei conta de que meu dreno nem era assim tão horroroso. Muitas vezes superdimensionamos tanto nossos problemas que quase nem percebemos que eles, perto dos de outras pessoas, não não passam de coisas pequenas.

Mais tarde me chamaram para tirar um Raio X num outro andar do prédio e o enfermeiro, aproveitando a viagem, buscou um rapaz de outro quarto para também tirar Raio X. Esse rapaz estava com um dreno enorme, parecia uma garrafa cheia de sangue (o meu era apenas uma bolsinha), e a espessura do cano que o ligava ao dreno tinha o dobro (pra não dizer o triplo) do meu. Perguntei a ele por que estava usando aquilo e, para o meu espanto, ele relatou um caso idêntico ao que eu passei (pulmão "colado" nas costelas). A diferença é que foi preciso operá-lo duas vezes, enqüanto que comigo em um procedimento só  meu problema já estava resolvido. Nesse momento vi que até que eu tinha tido "sorte", e que eu estava exagerando um pouco nas reclamações, afinal, apesar de toda a dor que eu sentia, ainda assim eu tinha sofrido bem menos que ele.

Percebi também o quanto amo o meu lar e as minhas coisinhas. Se antes acontecia de eu me sentir "entediada" sem ter muito o que fazer em casa, no hospital eu rezava pra que o médico me desse alta o mais rápido possível; eu sentia falta da minha cama, dos meus livros, dos meus bordados... enfim de tudo o que me cerca diariamente. Meu marido lindo sentiu a mesma coisa, pois nesse tempo todo ele esteve ao meu lado.
Sem contar que até  simples ações como pentear o cabelo, vestir uma camiseta, etc, se tornaram difíceis e um pouco dolorosas por causa dos pontos e do dreno. Até agora ainda sinto um pouco de dor (tirei o dreno segunda feira), mas me sinto super alegre por já conseguir me espreguiçar, pegar coisas em lugares altos e tudo mais.


A gente só dá valor ao corriqueiro quando nos vemos repentinamente afastados dele.

A vida é cheia de aprendizado mesmo. Até quando nem esperamos.





5 comentários:

Giovanna disse...

Eu também, vira e mexe também me pego reclamando de coisas pequenas e, ao ver pessoas com problemas muito piores, percebo o quanto tenho a agradecer.
Também super concordo que só percebemos o quanto nossa casa nos faz falta quando estamos longe!
Adorei! :]

alegria de viver disse...

Olá querida

Como está?
Gostei de sua reflexão, é uma menina muito inteligente e perspicaz, parabéns.
Nosso aprendizado é contínuo, muito bom seu reconhecimento.

Cuide-se e logo estará totalmente bem de saúde.

Fique bem
Obrigada

Com muito carinho BJS.

Pitty que Pariu disse...

Menina Lenon, Melhoras!

Digo menina mesmo sabendo que já é uma mulher, casada. Mas noto nas suas palavras a mesma intensidade e ternura de uma criança.

Que as dores logo passem e que fique essa mensagem que você transmitiu muito bem: valorizar as coisas simples e cotidianas. ;)

bjs

Monike disse...

Tenha um excelente fds =***********

Mariana Starkey disse...

Olá acho que vou ao show do Ringo sim e vc?E seu blog é muito fofo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...