quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Me dupliquei.

A Isa e a Bela são duas figuras fora do comum,uma tímida e meiga,outra quase punk revoltada.Mas são grandes amigas há 18 anos,e há um certo tempo não se viam. Aí,numa simples esquina,onde lá se ia mais um dia,elas se esbarraram sem querer.Ficaram muito tempo juntas,relembrando,refletindo,conversando.
Conversaram e perceberam que estavam cansadas. Cansadas de se deixarem iludir por sonhos confusos e esperanças infundadas. Cansadas de pensarem sempre no mesmo cara que há séculos lhes disse que não queria nada sério com nenhuma delas. Cansadas dos falsos amores,das falsas promessas.
Elas queriam mudar,mas mudar de verdade,e definitivamente tomar um rumo. Mas como elas são duas,seus rumos podem ser diferentes. Elas sabem que podem acabar voltando a se separar,e aceitam isso numa boa. Nunca vão deixar de ser parte da mesma coisa. Elas só querem paz. E quem sabe um pouco de amor.
Mas o amor já não é mais tão importante.
A partir do momento que alguém se acha no direito se impor sobre outra pessoa e tolher sua liberdade,é hora de acontecer uma "rebelião". Não se pode de forma alguma aceitar imposições de terceiros que muitas vezes nem sabem direito o que se passa,e só querem mandar para se auto-afirmarem.

Isso é uma total falta de respeito,de limites e de senso.

Se alguém aceita ser submisso em nome de um "amor" que muitas vezes nem existe,é porque já perdeu a noção de ridículo.


Eu não vou aceitar gente que pensa que tem controle sobre mim.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Descoberta

Através da minha mãe,consegui um trabalho voluntário que comecei recentemente: ajudo uma senhora a revisar o livro infanto-juvenil que ela está escrevendo. Explicando assim,parece ser um saco,e na verdade,quando minha mãe me falou da possibilidade de fazer isso,achei mesmo que fosse ser muito chato. Principalmente porque paciência nunca foi uma das minhas qualidades,e temi que essa minha "nova função" fosse justamente necessitar disso. Mas me enganei redondamente.
Primeiro porque essa senhora, Dona Yvete, a qual eu ajudo é uma figura simplesmente incrível: no alto de seus 84 anos tem uma lucidez de fazer inveja à muita gente de 18,além do que é artista plástica (autodidata) e sua casa é forrada de quadros que pintou ao longo dos anos (de vários estilos,um mais lindo que o outro). Sua única renda são as camisetas que estampa com desenhos em patchwork e miçangas,e como eu já disse,ela está escrevendo um livro. Tudo o que eu mais adoro: arte, literatura, artesanato e música (ela também já foi cantora e tem gravadores e rádio antigos em casa que são verdadeiras relíquias)!!!
Seu livro conta a história de uma família do interior,e é narrado por sua própria cachorrinha de estimação,Babette. É dividido em 10 capítulos,onde a história de cada membro da família se interliga,formando uma bela história-mosaico. Todos os personagens são bonecos reais que dona Yvete criou e fotografou,para serem usados como ilustrações.
Minha função é corrigir erros de ortografia e concordância que ocasionalmente ela comete,e até que são poucos,considerando-se que ela é belga e fala português ainda com um pouco de dificuldade (seu forte é o francês). O que mais me fascina nessa figurinha é a habilidade com que mexe no computador: nem eu,que sou uma (quase) nerd, tenho tanta rapidez para mexer em diversos programas da forma como ela faz,é incrível de se ver! Estou aprendendo um pouco mais de computador com ela,e ela aprende português comigo.
Fico extremamente feliz de ter conhecido uma pessoa tão fora do comum como Dona Yvete. Alguém que com certeza já viveu muita coisa legal e que tem muito a ensinar,mas que não pára de aprender. Não espero chegar à velhice,mas caso isso seja inevitável,espero poder ser pelo menos um pouco como Dona Yvete. Uma senhorinha incrível.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Vida de operadora

Trabalho há sete meses como operadora de caixa numa rede mercados até que bem conhecida. Antes de trabalhar lá,minha visão de uma operadora era a mesma visão equivocada que as pessoas geralmente têm: uma menina que de má vontade apenas passa os produtos,cobra o valor da compra e só. Simples assim. Mas descobri que a coisa não é bem desse jeito.
Além de atualmente ter de perguntar a cada cliente se ele quer o número do CPF na nota (por causa da maldita Nota Fiscal Paulista) e aguentar perguntas ridículas a respeito,uma operadora tem ainda que lembrar de códigos de frutas que passam como unidade (são no mínimo uns 20 códigos com 15 números cada),e lidar com as mais variadas formas de pagamento: dinheiro,cartões de crédito (lembrar de quais parcelam ou não) ,débito,tickets (e seus específicos códigos),cuponagem,financiamento,cheque à vista,etc,etc...
E claro, não se pode esquecer os clientes.
Ah,os clientes...esses seres estranhos com os quais temos de nos relacionar...quando se lida com clientes, é possível tirar muitas conclusões a respeito do comportamento humano.
O que pude perceber na maioria deles,é que são pessoas incompreensíveis, impacientes,egoístas,pedantes...e pior,pensam que são superiores às operadoras a ponto de terem o direito de humilhá-las a torto e direito e ainda sim continuarem com razão. O mais triste é quando a gente se dá conta de que esse comportamento agressivo e infantil não se limita ao supermercado: está em todos os lugares. Me pergunto quando será que essas pessoas vão cair na real e perceber que estão fazendo um papel ridículo e dando péssimos exemplos às próximas gerações . A impressão que dá é que isso nunca irá acontecer.
Mas,justiça seja feita: há também clientes decentíssimos (se bem que raros),que fazem nosso dia valer a pena e nos deixam esquecer pelo menos por um instante que temos de trabalhar nos finais de semana,feriados e em todos os outros dias em que a maioria das pessoas normais está de folga e livre para curtir a família e os amigos!!!
Enfim,apesar de tudo,posso dar graças a Deus por pelo menos estar empregada. Quem sabe em breve eu arranje algo que me deixe mais feliz? Sei lá,é sempre bom ter esperança.

(Obs: na próxima vez que você for ao mercado,por favor,lembre-se de tratar bem a operadora,ela merece!!)

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Escrever em primeira pessoa é algo que vicia. Sem querer se começa a escrever assim,e quando se percebe,aquela palavrinha de duas letras que para muitos é o centro do mundo aparece para dar o ar da graça e desconstruir todo o texto.


quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Parabéns John!!

09/10/2008


Em meio à guerra,nascia há 68 anos atrás John Winston Lennon,o cara que anos mais tarde lideraria a maior banda de todos os tempos,os caras que eu amo,os inimitáveis Beatles.

Ele,que lutou pela paz e teve um fim ironicamente violento,soube criar como ninguém belas canções que marcaram a vida de muitas pessoas.

Com senso de humor único,John com certeza deve ter sido uma companhia inesquecível para todos aqueles que tiveram a sorte de conviver com ele.

Uma figura como ele faz muita falta nos dias de hoje,onde sobra pose e falta criatividade.

Registro aqui,meus sinceros parabéns.


Ah John,como eu te amo!!!!!!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

They can't get no satisfaction

O que é satisfação,isso que todos procuram e que poucos dizem ter? É ter tudo o que se quer,não prestar contas a ninguém,estar perto de quem se ama? Então satisfação é um conjunto de amor,liberdade,saciedades e tantas outras coisas,que no fim,caracterizam a felicidade. Mas...existe alguém que diga com plena covicção que é feliz,ou melhor,que está 100% satisfeito com tudo?A felicidade parece caminhar justamente no sentido oposto: a busca pela plenitude somada à expectativa positiva (mais conhecida como esperança) traz a satisfação de se estar em constante movimento. Pelo menos para mim tem sido assim. Quanto mais busco e menos acho,mais encontro;e é desse jeito mesmo,paradoxal,que encontro momentos de satisfação.Não satisfação superficial mas aquela que vem de lembranças queridas de sonhos passados que agora se concretizam,da certeza de que faço o que gosto,da maravilhosa liberdade de não me importar mais com o que podem pensar de mim (depois de tantos anos me importando,aprendi a lição).Muitos dizem não estarem satisfeitos,mas poucos reconhecem o que já têm. Não é à toa que está tudo uma bagunça: até mudarmos nossos vícios com relação à vida,muito tempo vai passar,muitas gerações virão.Eu pelo menos estou satisfeita,mas não farta,graças a Deus.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Pensamento vago

É assim,quanto mais demonstramos medo,pior para nós mesmos. O melhor então, é passarmos sempre a sensação de que somos pessoas super seguras (mesmo nem sendo...mas de preferência ,se possível,sejamos).

Porque quando olhamos de frente para tudo o que nos assusta ou entristece, vemos que nunca houve motivos para a dor e o sofrimento na verdade era ilusão.

Esquentar q cabeça?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...